Uncategorized

Como Tratar Hérnia de Disco

Hénia de disco e Dor ciática.

A dor ciática não é uma patologia em si, mas um conjunto de sintomas que pode ser causado por inúmeras condições.Estes sintomas resultam da compressão do nervo ciático próximo à sua origem (entre a região lombar e a região glútea) e envolvem dor que começa nas costas e irradia para baixo pela face posterior da pernas.

colunaimagem

No caso da compressão do nervo ciático os sintomas serão sentidos na parte de trás da coxa, mas também poderá irradiar para a região anterior do joelho ou percorrer toda a região posterior da barriga da perna e pé.

A dor ciática geralmente é desencadeada por um movimento a que se atribui pouca importância, como curvar-se para apanhar algum objeto, e caracteriza-se pela gravidade dos seus sintomas, muitas vezes impedindo o paciente de se movimentar normalmente.

Se a compressão do nervo se prolongar no tempo, tecido fibroso pode se formar em volta do local da compressão, podendo levar a uma perda permanente da função do nervo afetado.

A dor ciática pode ser causada por uma hérnia discal lombar, por alterações degenerativas da coluna lombar, por estenose do canal medular, por espondilolise e espondilolistese ou por síndrome do piramidal. Outras causas menos comuns são tumores, infecções e fraturas.

Ainda não está claro o porque de algumas pessoas desenvolverem hérnias discais e outras não, mesmo quando fazem o mesmo trabalho ou levantam o mesmo tipo de objetos.

Aparentemente algumas pessoas têm uma parte externa do disco menos resistente do que outras.

Alguns fatores de risco são: trabalho que envolve muita elevação de pesos, ou que necessite ficar muito tempo sentado (principalmente dirigindo), esportes que envolvam elevação de peso ou rotações repetitivas do tronco, tabagismo, obesidade e aumento da idade (o disco vai acumulando alterações degenerativas ao longo dos anos).

Cirurgia. Quando operar?

A cirurgia só é uma opção em alguns casos, caso os sintomas não aliviaram após cerca de no mínimo tres meses após tratamento  havendo  perda importante  da força muscular, sensibilidade e reflexos.

O objetivo da cirurgia é remover a parte herniada do disco. Isso pode  algumas vezes atenuar os sintomas.

No entanto, na maioria das vezes não funciona. Também, como com todas as operações, há o risco da cirurgia.

Deverá aconselhar-se com um especialista, e se houver resposta favorável ao teste de movimentos dentro da técnica Mckenzie, o tratamento dentro desta técnica é indicado, afastando a indicação da cirurgia.

Método McKenzie de tratamento da coluna vertebral

O método McKenzie de diagnóstico e terapia mecânica é um sistema de classificação e tratamento para pacientes com dor lombar, e foi desenvolvido em 1981 por Robin McKenzie, um fisioterapeuta da Nova Zelândia.

A abordagem segundo o método McKenzie pode ser dividida em 3 etapas:

Avaliação, tratamento e prevenção.

A avaliação baseia-se no registo de uma relação consistente de causa-efeito, tanto a partir da história do comportamento da dor, quanto da resposta da dor ao teste de movimentos repetidos e posições mantidas.

Aplicando uma progressão sistemática de forças mecânicas (causa), o fisioterapeuta utiliza a resposta da dor (efeito) para monitorizar as alterações no movimento e na função. O distúrbio subjacente pode então ser identificado rapidamente através dos achados objetivos do exame de cada paciente.

A resposta sintomática mais comum e significativa é a Centralização, fenômeno em que a dor irradiada, originária da coluna, regride progressivamente em direção à linha média da coluna e é eliminada, em resposta à aplicação deliberada de estratégias de carga.

A centralização indica a chamada “direção de preferência”, ou seja, aquela em que se deve aplicar o movimento terapêutico. Esse movimento pode ser flexão, extensão, inclinação lateral ou rotação, ou uma combinação destes.

O Diagnóstico Mecânico de McKenzie, determinado a partir da avaliação, classifica os pacientes com apresentações mecânicas similares em subgrupos bem definidos (síndromes) para determinar o tratamento adequado.

McKenzie identificou três síndromes mecânicas a que chamou: Síndrome de Desarranjo, Síndrome de Disfunção e Síndrome Postural.

• Síndrome de Desarranjo – deformação mecânica causada por ruptura anatómica ou deslocamento dentro do segmento do movimento, resultando em dor e limitação funcional

• Síndrome de Disfunção – deformação mecânica de tecidos moles limitados estruturalmente (cicatriz, fibrose, aderência, encurtamento adaptativo) causando dor e limitação funcional

• Síndrome Postural – deformação mecânica de tecidos moles normais causada por stress postural prolongado e resultando em dor

Cada síndrome é abordada de acordo com a sua natureza única, com procedimentos mecânicos específicos, utilizando movimentos repetidos e posições mantidas. A Síndrome de Desarranjo, em que o fenómeno da Centralização ocorre, é a mais comum.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s